16/08/2002

 

                      A PERVERSA POLUIÇÃO SONORA

 

                                                                                 José de Souza Soares

 

                                               Um morador da Barra de Maricá, fez aqui na quarta-feira última, uma reclamação bastante justa com relação  aos serviços alto-falantes, que ficam o dia inteiro espalhando pela cidade uma terrível poluição sonora, ferindo nossos ouvidos num desrespeito a qualidade de vida do cidadão que aqui vive, certamente em busca da paz que não é encontrada nas cidades grandes, hoje agressivas demais em termos de meio ambiente, balas perdidas e outras coisas mais.

                                               Triste é saber que Maricá é uma cidade que tem tudo para ser um mar de tranqüilidade, com uma qualidade de vida de por inveja a qualquer morador de São Paulo ou Rio de Janeiro, por exemplo. Porém, ainda vivemos aqui no tempo do rococó, embora estejamos na era da Internet, da Tv a cabo, do telefone celular e de outros meios modernos de comunicação de massa, não cabendo mais esta moda antiga, cafona e agressiva  desses desagradáveis serviços de alto-falantes. Os responsáveis por esses veículos de propaganda parecem pessoas  recalcadas, que cismam de colocar o mais alto possível o volume das suas incomodas caixas, que já não deviam ter permissão para  operarem nesta cidade, por poluírem sem dó e sem pena o meio ambiente.

                                               O morador da Barra tem toda razão em reclamar sobre este abuso que ainda impera em nossa cidade, que não conta com uma fiscalização eficaz que possa coibir esta falta de respeito ao cidadão que paga seus impostos e que tem todo o direito de viver sem esses decibéis que ferem cruelmente nossos ouvidos, com enormes prejuízos para a  saúde de todos nós.

                                               Entretanto, o que se espera agora, são providencias urgentes por parte do poder público municipal no sentido de dar um basta nessa orgia ambiental que se estabeleceu em Maricá, não só através desses serviços fixos, como também pelos chamados carros de som.

 

                                           ABAIXO O BARULHO!!!